O que é psicoterapia breve?

É um tratamento psicológico com foco e tempo determinados. O plano terapêutico é construído a partir de uma queixa específica e imediatas. O objetivo é traçado junto com o paciente após análise do quadro. Profissional e paciente trabalham juntos, com foco na resolução de crises pontuais.

Quais são as principais características?

Na psicoterapia tradicional o terapeuta é mais neutro e faz breves intervenções em um longo período de tempo, na psicoterapia breve o terapeuta mantém uma postura ativa e se expressa muito mais. O esforço na manutenção do foco permite que o tempo seja menor comparado as linhas tradicionais. Outro diferencial é a inserção de atividades entre as consultas que visa potencializar o processo reflexivo e a aquisição de novas experiências para ampliar o repertório emocional.

Quais são as etapas da terapia?

O terapeuta inicialmente faz uma avaliação para entender a real situação do paciente e elabora um planejamento. Na segunda etapa, o paciente coloca em prática as estratégias estabelecidas na primeira fase. A adaptações e a revisão sobre o progresso são feitos periodicamente. Após atingir o objetivo, é realizada avaliação final do processo terapêutico e análise dos resultados alcançados. O paciente pode optar por trabalhar outros pontos ou encerrar a terapia.

Essa técnica procura e reforça os aspectos sadios do paciente ligados à atenção, memória, pensamento, consciência, juízo crítico, raciocínio, linguagem e comunicação. Estas funções devem se apresentar em condições mínimas para tornar possível a obtenção de insights. A motivação para a realização do processo terapêutico é fundamental.

Quanto tempo demora a terapia breve?

O número de sessões é variável e depende da complexidade do caso. Em média, é recomendada uma sessão por semana, durante um período de quatro a seis meses. O processo pode se prolongar se o paciente optar por trabalhar outros objetivos além daquele definido na etapa inicial.

A terapia breve é para mim?

Pacientes com queixas específicas como depressão, separação conjugal, distúrbios de sono, luto, ansiedade podem se beneficiar desse tipo de abordagem. Cabe ressaltar que essa abordagem não é indicada para pacientes com perturbações psíquicas crônicas.